SP Ecoera

0
838
Chiara Gadaleta, criadora do SP Ecoera, e Isabella Prata, dona da Escola SP, onde o evento foi realizado.

Rolou em abril a segunda edição do evento mostra que, mesmo em estágio inicial no Brasil, o consumo sustentável é possível – inclusive na Moda.

O SP Ecoera tem por objetivo aproximar consumidores de produtos e meios de consumir de maneira sustentável. O evento foi aberto por um desfile, mas também contou com oficinas, workshops e mesas-redondas que promovem aprendizado e reflexão sobre temas como comércio justo, luxo artesanal, reciclagem e reaproveitamento, vintage, upcycling, ética e estética, projetos sociais e produtos orgânicos.

O SP Ecoera foi idealizado por Chiara Gadaleta, que também comanda o projeto Ser Sustentável Com Estilo (http://sersustentavelcomestilo.com.br/)

O desfile contou com oito marcas:

Flavia Aranha – a estilista mostrou sua coleção de verão, inspirada nos girassóis e seus movimentos, com peças feitas de organza de seda, tule de algodão e linho rústico com seda – tecidos 100% feitos à mão e fiados na roca pela comunidade de Pirenópolis. Os tingimentos são vegetais (cumaru e acácia negra) e manuais, com técnicas de dobraduras.

Vert – Depois de oito anos de sucesso na Europa, o primeiro tênis sustentável chega ao Brasil. Os tênis Vert são feitos com borracha produzida por uma cooperativa de 40 famílias de seringueiros. As lonas são de algodão orgânico, cultivado sem produtos químicos por pequenos agricultores cearenses. O couro tem curtimento ecológico, sem utilizar cromo, e os produtos são 100% fabricados no Sul do Brasil.

Gustavo Silvestre – O estilista Gustavo Silvestre vem pesquisando produtos cada vez mais sustentáveis. Na abertura da SP-ECOERA, mostrará uma mini coleção de vestidos e acessórios feitos de crochê, utilizando o reaproveitamento de fios.

Helicônia – Couro de peixe e rã é a principal matéria-prima da Helicônia, marca instalada em uma antiga casa de fazenda onde ficam curtume e ateliê, em Pindorama/SP. Criada em 2010, a marca produz sapatilhas, scarpins, clucths, bolsas, braceletes e afins. Todas as peças são confeccionadas em couro de peixe ou rã, ambos provenientes de um curtimento 100% vegetal e artesanal. Os produtos estão disponíveis no tom natural (sem tingimento) ou em extensa variedade de cores.

Pandora – A Pandora apresenta sua linha de joias de madeiras sustentáveis produzidas pela Rainforest Protection Initiative.

Será o Benedito – Reaproveitamento é o mote da marca Será o Benedito. Seus produtos, como calças jeans, jaquetas, bolsas e calçados, são feitos com tecidos reutilizados e com lona de caminhão, um material inusitado que revela resultados impressionantes.

Toca da Cathy – A Toca da Cathy é um brechó de luxo e uma Vintage Store. Seu acervo é composto unicamente de conhecidas grifes nacionais e internacionais. No desfile, serão apresentadas peças vintage, algumas com até 50 anos de história, de marcas como Céline, Courrèges, Dior e Ferragamo.

Vuelo – A Vuelo é pássaro. Nasceu da vontade de voar da publicitária Adriana Tubino e da estilista Itiana Pasetti, amigas que se uniram pelo desejo de colocar no mundo algo que dê um novo sentimento à vida das pessoas. Assim foi concebida a marca, que trabalha com criações reinventadas, sustentáveis e 100% brasileiras.Os acessórios – bolsas de viagem e utilitários – são feitos com matérias primas carregadas de história e um sistema de produção baseado no artesanato. O cuidado com cada detalhe gera um produto final único. A Vuelo coleta, reaproveita e repensa aquilo que é descartado e que muitas vezes é chamado de “lixo”.

Zerezes – Zerezes é um coletivo de design carioca que aborda o descarte com um olhar diferente, buscando conferir novo significado ao que deixou de ser útil através da expertise em produtos. Como primeiro projeto, irá apresentar óculos feitos de madeira.

Após o desfile foi servido brunch orgânico do Spa Lapinha e então a programação de oficinas, workshops e bate-papos foram iniciadas.


Longo caminho

O evento conseguiu mostrar que ainda há um longo caminho a percorrer. De formato variado, porém ainda muito pequeno tanto em audiência quanto em espaço, o SP Ecoera mostra que consumir respeitando o meio ambiente ainda é algo muito distante.

E o que é ainda mais triste: ainda é coisa para uma parcela “privilegiada” da população. Ou seja, no Brasil, ainda há um longo caminho a ser percorrido.

Mas o bom disso tudo é que o pontapé inicial foi dado. E os produtos mostrados no evento apresentam muita sintonia com o mercado atual em questão de estilo, cor e tecnologia. Confira as fotos e comprove!

Foto de abertura: Chiara Gadaleta, criadora do SP Ecoera, e Isabella Prata, dona da Escola SP, onde o evento foi realizado.

Previous articleKeds+Taylor Swift no Brasil
Next articleExpo Mônica 50 anos
É osasquense e formada em Negócios da Moda, com especialização em Figurino (MAM-SP). Eva também faz parte do programa 10.000 mulheres, (FGV) e é conselheira de Cultura voluntária em Osasco. Atua há 15 anos no mercado de Moda realizando consultoria de Negócios e produção de figurino em shows internacionais, como: MDNA, Lady Gaga, Roger Waters, Britney Spears, Aerosmith, U2 360º, Batman Live, Stomp, Pearl Jam, Metallica, AC/DC, Rush, Bon Jovi, Guns’n Roses, entre outros.

Deixe uma resposta