A edição 2018 do DFB Festival começou nesta quarta-feira (9), abrindo espaço para a diversidade cultural e a riqueza multidisciplinar promovidas pela moda autoral, que ganha destaque e notoriedade internacional durante os quatro dias de evento.

Na coletiva inaugural, realizada na Sala Branca de desfiles, o diretor-geral do DFB, Claudio Silveira, ressaltou a responsabilidade que o maior encontro da moda autoral da América Latina carrega por dar vitrine a tantos talentos. “Uma programação múltipla como a dessa edição tem a ver com os dois verbos que nós elegemos para nortear os 360 graus de ações do DFB Festival 2018: transformar e manifestar!“, destacou em seu discurso.

Desfiles

Entre as novidades do primeiro, o público conheceu a nova sala de desfiles, a DFBeach Club, estrutura climatizada com capacidade para 600 pessoas no pavimento superior do Terminal Marítimo, que trará desfiles exclusivamente de marcas e estilistas com foco em beachwear. Quem estreou as passarelas desse espaço e também do DFB foi a marca Flee com a coleção Autodevota, que buscou inspiração na deusa que cada mulher encontra dentro de si, numa celebração ao amor próprio.

Na Sala Negra, o estilista Saldanha foi o primeiro a se apresentar, trazendo a coleção KiteSurf, inspirada no esporte comumente praticado no litoral de Cumbuco (CE) e que ressalta a simplicidade dos pescadores da região contrastando o high end tecnológico dos kitesurfistas internacionais que visitam o local. Em seguida, na Sala Branca, foi a vez de Wagner Kalieno, nome que consagrou-se o queridinho dos fashionistas que amam uma peça assimétrica, com fendas exuberantes e modelos marcantes.

A noite também foi marcada pela quarta participação do estilista João Paulo Guedes no DFB, dessa vez trazendo pela primeira vez ao Brasil a coleção “Illusions”, tendo como características os tecidos antigos em cortes modernos, combinações ousadas de estampas com cores primárias e o uso carregado de listras.

A estilista Almerinda Maria trouxe às passarelas um novo conceito sobre a riqueza da Renda Renascença aliada à sofisticação embalado pela junção do ritmo jazz com o samba, que fazem melodia para sua nova coleção.O encerramento dos desfiles ficou por conta do cearense Lindebergue Fernandes, veterano do DFB e conhecido por trazer muita personalidade nas suas criações com seu viés político e lúdico.

Veja todos os desfile do DFB em nosso HOT SITE ou aqui

Shows

Com grandes novidades nesta edição, a programação de shows do DFB Festival teve como destaque na primeira a primeira noite a cantora Iza, artista do pop nacional que trouxe uma apresentação exclusiva e cheia de energia e personalidade no Palco Ceará Sobe Som. Na mesma noite, espaço também teve apresentações de atrações locais como Luna e o Dj Marcelo Botelho. O line up de apresentações musicais também foi animado pelos Palcos Atlântico Sul, com a Banda Duetos; e o Palco Moda, com a cantora cearense Nayra Costa.

DPM

Com realização compartilhada entre o DFB Festival e o Senac/Ce, o Dragão Pensando Moda (DPM) é um tradicional ciclo de encontros sobre moda, design, gastronomia e inovação e ocupou todo o Pavilhão do Conhecimento, no pavimento superior do Terminal Marítimo.

A programação do DPM foi aberta a partir das 13h30, com palestras dos estilistas Juliana Jabour (convidada Lunelli) e João Pimenta, bem como do consultor Eduardo Motta, sobre cenários, cultura e comportamento. Em seguida, teve Conversa Criativa com os estilistas e a jornalista e consultora Patrícia Pontalti.

DFB 2018 - DPM - dia 9 - osasco fashion

Deixe uma resposta